As Colmeias de Necromunda

As Colmeias de Necromunda

As colmeas de Necromunda ascendem dos resíduos de cinza como montanhas completas. Pináculo sobre Pináculo, torre sobre torre, colmeias escalam tão alto, acima das nuvens envenenadas elas penetram a atmosfera do planeta. Para seus milhões de habitantes cada Colmeia é diversificada e um mundo completo, tão isoladas de seus arredores nos resíduos de cinza quanto de suas colmeias vizinhas quanto do espaço profundo e de guerras distantes.

Ninguém sabem o quão antigo as colmeias de Necromunda são. Seus tamanhos são um testamento de quantos anos de crescimento elas possuem, alastrando camada sobre camada, sempre escalando mais alto acima da superfície poluída do planeta. As mais profundas e velhas camadas agora existem no subterrâneo, enterradas por resíduos de cinza corrosivas que empilham ao redor da base da colmeia. Essas partes da colmeia foram abandonadas a tempos atrás, e agora são lugares escuros e perigosos, habitado por apenas coisas mutantes que nasceram dos poluentes químicos, doenças e loucura.
Onde a colmeia sai para superfície sua ampla base se estende 10 milhas ou mas de ponta a ponta. Do nível do solo a montanha feita por homens se eleva infinitamente íngremimente para cima. Paredes enferrujadas de adamantium escalam através da camada fotofosforecente das sub-nuvens, uma mortalha de poeira ácida qual se apega a superfície de Necromunda como um cobertor. A colmeia alcança os céus através de uma sombra fantasmagórica, até eventualmente penetrar a base de nuvens e emergir para a luz solar. Sobre o nível acima das nuvens, as paredes da colmeia estão a quase 5 milhas acima dos resíduos de cinza.
Acima da camada de poeira a colmeia se estreita em uma ponta, uma torre cravejada com milhões de luzes, se expande quase verticalmente em direção das estrelas. O Pináculo é coberto de bolhas de amourplas de muitas formas e tamanhos. Domos onde seu escudo de superfície cuidadosamente nutre formas de vegetação em seu fino e árido ar. Torres esbeltas aparecem do casco exterior, palácios de elegância massiva e de proporções menos significativas em comparação com a colmeia. Escorando suas varandas milhares de metros acima, soltos no espaço aberto formando de base para novos canteiros de obras. Plataformas de pouso abrangentemente circulares nas paredes dos pináculos, e altos buracos sombrios escancarados levando para portos espaciais dentro da colmeia.
Tais são as colmeias de Necromunda, de suas raízes negras a seus picos luminosos. Cada colmeia é completa, um mundo alto contido tão variado e complexo quanto qualquer planeta no vasto Imperium. Um homem nascido na camada do meio da colmeia pode viver e morrer sem ver o céus de Necromunda ou pisar em sua superfície. Ele pode trabalhar nas fábricas das guildas ou talvez intermediar os negócios de sua família. Dessa maneira a maioria devota suas vidas a seus esforços para criar a massiva riqueza deste mundo.
Nem todos os homens são contentes a servir de maneira indeterminada: uma pequena minoridade sonha com coisas melhores. Alguns buscam por riquezas, poder ou simplesmente escapar das margens da pobreza. Outros procuram escapar de restrições das guildas ou da incapacitação das ordens sociais das Casas e da colmeia. Quaisquer sejam suas razões, não existe escassez de jovens aventureiros desejando apostar tudo por um gosto de riqueza, prestígio e poder.

vansaar

Colmeia Primus

A mais importante colmeia de Necromunda é chamada de Colmeia Primus ou Colmeia Um. Colmeia Primus é a maior e mais velha colmeia. Sobre suas paredes existem milhares de células estruturais ou domos, geralmente de muitas milhas de tamanho e centenas de metros de altura. Tais espaços podem ser usadas para se construir com diversas construções tais como suntuosos palácios e complexos industriais alastrados. A colmeia é um favo de domos ambos pequenos e largos, cada um é construído sobre o outro, ligados por túneis e veios carregando tráfegos, energia e outros serviços vitais para a colmeia.
A colmeia é dividida em zonas ordenadas verticalmente. Do seu topo para seus profundos subterrâneos, esses são: O Pináculo, A cidade Colmeia, a Sub-Colmeia e o Fundo da Colmeia.

Colmeia

O Pináculo

O Pináculo se estende acima do nível das nuvens, ascendendo sobre as massas da colmeia e perfurando a atmosfera do planeta. Esse é o subdomínio de sete grandes clans, chamados de Casas Nobres. As Casas Nobres são enormes consortes de mercadores galácticos e financiadores quais os líderes controlam uma imensa riqueza no planeta. A mais poderosa das Casas Nobres é a Casa Helmawr, também conhecida como Imperial ou Casa Dominante. O líder dessa casa é o Lord Gerontius Helmawr, Adeptus do Imperium dos Homens, e Guardião de Necromunda sobre o nome sagrado do Imperador Imortal. Ele domina não apenas a Colmeia Primus mas todo planeta de Necromunda. O Pináculo contém amplos espaços arejados e esplendores inimagináveis para aqueles que habitam a escuridão abaixo. Suas pessoas apreciam os frutos de uma civilização que se expandiu pela galáxia. De seus portos espaciais mergulhados profundamente nas paredes do Pináculo, naves carregam produtos de Necromunda para todo o Imperium. Em retorno, as riquezas da galáxia fluem para a colmeia – comidas exóticas, escravos sensuais, trabalho de arte requintados e raros materiais de estrelas distantes.

A Cidade Colmeia

Abaixo do nível do Pináculo se encontra uma sólida camada de adamantium chamada de Parede, qual divide os altaneiros da colmeia superior da Cidade Colmeia. Pesados portões de entrada através da Parede permitem cuidadosamente controlar a passagem entre as duas partes da colmeia. Abaixo da Parede se encontra uma vasta massa da Colmeia trabalhadora, cinco milhas profundas é a extensão que a Cidade Colmeia se encontra do nível das nuvens para o chão. A Cidade Colmeia é dividida entre seis impérios manufaturantes conhecidos como Casas. Cada Casa existe em sua própria parte da Colmeia e governa seus próprios negócios bem separadamente das outras Casas. Os Colmeios(hivers), como a população é chamada, vive no escuro, com pouco espaço e em condições poluentes, nunca vendo o sol desde o dia de seu nascimento até o dia de sua morte. O ar que eles respiram é reciclado dos níveis acima e se torna mais amargo e venenoso conforme vai sendo filtrado para baixo. Até mesmo a água é destilada de reúso dos níveis acima da colmeia e sua comida é fabricada de nutrientes químicos produzidos, baseado em algas ou reciclo de amido de corpos. As condições são de super lotação e insanitárias, e, conforme a colmeia vai se aprofundando, mais escuro e menos habitável o ambiente se torna.

Sub-Colmeia

Nas profundezas da Cidade Colmeia é comum para a energia ou água falhar ou acesso a túneis ruir, criando zonas de resíduos improdutivas e tóxicas. Quão mais profunda a região, pior seu ar é, energia e acessos, assim como mais instável são as construções. Conforme a Colmeia se aprofunda mais, os níveis normais de habitação se tornam impossíveis, e essa região é conhecida como Sub-Colmeia. Não existe nenhuma barreira entre a Cidade Colmeia e a Sub-Colmeia, pois seus limites estão em constantes mudanças. Mesmo que áreas da Cidade Colmeia são abandonadas, partes da Sub-Colmeia são recolonizadas e reconstruídas. Como consequência, a Sub-Colmeia está em constante mudança de fronteiras onde as pessoas estão constantemente em busca de novas oportunidades ou fugindo de catástrofes iminentes.
A Sub-Colmeia é uma fronteira em grandes maneiras. Não apenas é uma barreira entre a Cidade Colmeia e os inimagináveis horrores do Fundo da Colmeia, mas é também uma região fora da lei formal e ordem da Colmeia. As pessoas da Cidade Colmeia vivem sobre cuidadosos regulamentos. Eles são protegidos por códigos estritos sociais das Casas e da Colmeia, dominadas por Patriarcados e obrigados a trabalhar nas fábricas das guildas. A vasta Sub-Colmeia é sem lei e anárquica, e seus assentamentos amontoados, formam apenas refúgios de ordem relativa. Até mesmo desses refugos, assassinato e violência fazem parte dos fatos diários. A Lei da Arma é a lei comum da Sub-Colmeia, e a autoproteção é a melhor e mais garantida defesa.

Fundo da Colmeia

Na base da colmeia, construções se tornam tão estruturalmente perigosas que essa região se torna diferente e ainda mais de caráter inóspito. Essa é a zona final e mais profunda chamada de Fundo da Colmeia. O Fundo da Colmeia é tão decadente e destruído que seus domos originais e pilares de fundação a muito tempo foram demolidos, formando uma camada de detritos sólidos. Entre esses detritos existem bolsões enclausurados ligados por buracos e túneis cheios de líquidos que vazam de cima. Esses poluentes e efluentes, são fluídos descartados de toda Colmeia, formam um vasto lago de radiação pútrida chamada de Fossa(Sump). Nada pode viver no Fundo da Colmeia a não ser as maiores atrocidades mutantes. Seus habitantes são crias da escuridão e poluição. Algumas dessas criaturas sujas encontram seus caminhos para a Sub-Colmeia, ou até mesmo para as partes mais baixas da Cidade Colmeia, mas seus domínios naturais são na escuridão do Fundo da Colmeia.

(Nota Lateral)

Nem todos Sub-Colmeios são crianças nativas do domínio quente e escuro abaixo da Cidade Colmeia. Muitos vem da própria Cidade Colmeia, colmeios novos procurando por um novo começo, um recomeço fora das demandas opressivas das famílias patriarcas. A generosa Sub-Colmeia os recebe em seus seios, os sem posse, os esperançosos e os desesperados, todos são igualmente bem vindos na grande escuridão quente. Parece inimaginável que aqueles que são ricos e poderosos podem querer dividir em igualdade, o sonho de esperança de apagar o passado e crescer livre dos cabrestos e responsabilidades. Ainda assim, existem tais pessoas, colmeios do Pináculo que “vão para a Parede” como eles dizem, quais viram suas costas para sua laia e escolhem viver em anonimato na Sub-Colmeia.
Helmawrs, Catallii, Tys, Ulantis, Greim, Ran Los e Ko’Irons, cidadões de grandes casas nobres da Colmeia Primus, todos tem razões para esgueirar a Sub-Colmeia. Homens com sotaques estranhos e nomes não familiares, ou totalmente sem nomes. Homens sem passado. Com agendas próprias. Escondendo. Procurando. Questionando. Provando os doces frutos do perigo, negados dos mesmos, pois vivem no quieto esplendor acima da Parede. Quem pode dizer o que leva um homem que quietamente bebe seu Wild Snake em um canto escuro, fora do tráfego e dos cuidados do mundo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s